segunda-feira, 19 de março de 2007

Review: Iron Maiden - 2006 - A Matter of Life And Death

A Matter of Life And Death, álbum da mais famosa banda de Heavy Metal, o Iron Maiden, foi, talvez, o CD mais esperado de 2006.

Os fãs estavam cada vez mais ansiosos, porém o CD não foi tudo aquilo que esperávamos.

Resumidamente, o CD é ruim. O que o salva? O nome da banda. Se não fosse o Iron Maiden, com certeza esse álbum seria totalmente massacrado pela crítica (mais do que já foi). Talvez tenha sido o espírito do lendário Bruce Dickinson ou do ótimo compositor Steve Harris, que aparenta estar velho para esse tipo de coisa, que tenha salvado esse disco.

O que acontece é que o Iron Maiden vem com um estilo de música que preenche os discos da banda inglesa desde os tempos de Blaze. São canções com arranjos clássicos, demoradas, lentas e enjoativas. Parece ser uma continuação do Dance of Death (2004), que diga-se de passagem, é melhor que esse.

Muitos gostam de falar que o último álbum lançado pelo Iron Maiden foi o Brave New World (2001), nada mais nada menos do que o disco que traz novamente Bruce Dickinson aos vocais, Adrian Smith na guitarra e rendeu um show no Rock N' Rio.

Na verdade, não há diferença alguma. Canções da Era Blaze, como The Sign of The Cross e The Clansman marcaram de alguma forma a composição de Steve Harris. Como eu já disse, são canções que começam lentas, aceleram no meio, buscam elementos clássicos e acabam se tornando enjoativas. Isso não é Iron Maiden.

Parece estar caindo em uma repetição doentia. Não sei o que está acontecendo, mas já não bastasse o péssimo gosto para se fazer set-list, agora temos discos enjoativos. Nos últimos CDs, são poucas as músicas que lembram a batida antiga do Iron Maiden.

A Matter of Life And Death é um disco para se escutar uma única vez. Na segunda você não aguenta mais. Só nos faz pular quando é inédito, ou quando estamos nos destraindo com alguma coisa e ouvimos aqueles solos de guitarra despercebidamente.

A turnê está rolando e tem grandes chances do Iron Maiden vir para o Brasil esse ano, parece que já está até confirmando, só não se sabe a data.

Como de esperado, os shows estão recheados de músicas do novo CD e com os clássicos clichês na reta final, os quais nos fazem ter grandes momentos de alegria. Mas já ouvi dizer que os clássicos estão sendo substituídos por novas canções.

O CD é barato, diga-se de passagem. Como é atual, é comum não passar da faixa de R$ 40,00.

-----------

Capa:




















Integrantes:

Bruce Dickinson - Vocais
Steve Harris - Baixo
Nicko McBrain - Bateria
Dave Murray - Guitarra
Adrian Smith - Guitarra
Janick Gers - Guitarra

Faixas:

1. Different World

2. These Colours Don't Run

3. Brighter Than A Thousand Suns

4. The Pilgrim

5. The Longest Day

6. Out Of The Shadows

7. The Reincarnation Of Benjamin Breeg

8. For The Greater Good Of God

9. Lord Of Light

10. The Legacy

Gênero: Heavy Metal

Classificação: **

***** - Excelente
**** - Muito Bom
*** - Bom
** - Regular
* - Ruim
- Péssimo

3 comentários:

Abilesco disse...

Sei lá, eu só ouvi um pedaço de uma música, mas é como minha mãe disse sobre Os Mutantes, não vale a pena pagar pra ver um monte de velho caindo ao pedaço cantar.

Igor disse...

*
num posso diser que e pessimo porque eles sao famosos no mundo do HeavyMetal,mais tambem num sou a pessoa ideial para critica-los ,pois WhiteMetal e minha praia...
Suteba esta de parabens pela critica,continue assim e estou esperando o proximo post

Saurito disse...

Pois bem, crítica feiosa.
Tá certo que o álbum não é muito bom, mas regular foi pouco demais.
Poderia muito bem ter dado 3 estrelas.